Contra proposta apresentada pelo superintendente da receita desagradou a todos

16 de março de 2016

Desde o final do ano passado que o Sintfepi vem buscando viabilizar os anseios da categoria em busca de melhorias salariais. No início desse ano, todas as entidades fazendárias protocolaram um ofício solicitando audiência com o secretário da fazenda, Rafael Fonteles. Esta reunião ocorreu nos dias 11 e 12 de fevereiro, onde foi solicitado tratamento isonômico e proporcional ao que foi concedido ao Analistas do Tesouro Estadual no final de 2015. O secretário solicitou um prazo até o final de março para resolver a questão.

No dia 26/02, autorizado pelo secretário, o superintendente da receita, Antonio Luiz, apresentou uma ideia de criação da gratificação por esforço fiscal – GEF que garantiria para os Técnicos R$300,00 quando a meta for atingida e possibilitando pequenos acréscimos em função do incremento da receita estadual a partir de janeiro de 2017. Além disso, seria acrescentado R$60,00 sobre a GIA Metas a partir de dezembro de 2016. Em junho de 2017, esse acréscimo passaria a R$120,00; em novembro de 2017, passaria para R$180,00 e em junho de 2018, esse acréscimo sobre a atual GIA Metas passaria a ser de R$240,00.

 Da mesma forma, as demais categorias fazendárias ficaram descontentes com as propostas apresentadas pela direção da SEFAZ, visto que elas não conseguem repor, sequer, as perdas inflacionárias. Neste sentido, no dia 03/03 o Sintfepi apresentou contra proposta com valores proporcionais ao que foi concedido aos Analistas do Tesouro Estadual no final do ano de 2015, concordando em parcelar o aumento até o final de 2016. As demais entidades fazendárias também apresentaram suas reivindicações. O superintendente recebeu as sugestões e informou que até o dia 14/03 daria resposta.
Na data combinada, Antônio Luiz reuniu-se separadamente com cada entidade e informou que o secretário da fazenda manteve o modelo de sua proposta original deixando margem para pequenas alterações: O valor garantido da GEF passaria de R$300,00 para R$360,00 e os acréscimos sobre a GIA Metas passariam para R$90,00; R$180,00 e R$300,00 até julho de 2018.

 Assim, representantes de todas as entidades se reuniram na manhã do dia 15/03 (terça) e foram unânimes em manifestar descontentamento ao que está sendo apresentado pelo governo. Ademais, foi reafirmado que o tratamento deve ser isonômico e proporcional para todos os servidores da secretaria da fazenda.
“O secretário Rafael Fonteles marcou audiência com representantes das categorias para o dia 16/03 (quarta) onde será realizada mais uma rodada de negociação”, informou Flaviano de Santana, diretor do Sintfepi.

Contra proposta apresentada pelo superintendente da receita desagradou a todos

16 de março de 2016

Desde o final do ano passado que o Sintfepi vem buscando viabilizar os anseios da categoria em busca de melhorias salariais. No início desse ano, todas as entidades fazendárias protocolaram um ofício solicitando audiência com o secretário da fazenda, Rafael Fonteles. Esta reunião ocorreu nos dias 11 e 12 de fevereiro, onde foi solicitado tratamento isonômico e proporcional ao que foi concedido ao Analistas do Tesouro Estadual no final de 2015. O secretário solicitou um prazo até o final de março para resolver a questão.

No dia 26/02, autorizado pelo secretário, o superintendente da receita, Antonio Luiz, apresentou uma ideia de criação da gratificação por esforço fiscal – GEF que garantiria para os Técnicos R$300,00 quando a meta for atingida e possibilitando pequenos acréscimos em função do incremento da receita estadual a partir de janeiro de 2017. Além disso, seria acrescentado R$60,00 sobre a GIA Metas a partir de dezembro de 2016. Em junho de 2017, esse acréscimo passaria a R$120,00; em novembro de 2017, passaria para R$180,00 e em junho de 2018, esse acréscimo sobre a atual GIA Metas passaria a ser de R$240,00.

Da mesma forma, as demais categorias fazendárias ficaram descontentes com as propostas apresentadas pela direção da SEFAZ, visto que elas não conseguem repor, sequer, as perdas inflacionárias. Neste sentido, no dia 03/03 o Sintfepi apresentou contra proposta com valores proporcionais ao que foi concedido aos Analistas do Tesouro Estadual no final do ano de 2015, concordando em parcelar o aumento até o final de 2016. As demais entidades fazendárias também apresentaram suas reivindicações. O superintendente recebeu as sugestões e informou que até o dia 14/03 daria resposta.
Na data combinada, Antônio Luiz reuniu-se separadamente com cada entidade e informou que o secretário da fazenda manteve o modelo de sua proposta original deixando margem para pequenas alterações: O valor garantido da GEF passaria de R$300,00 para R$360,00 e os acréscimos sobre a GIA Metas passariam para R$90,00; R$180,00 e R$300,00 até julho de 2018.

Assim, representantes de todas as entidades se reuniram na manhã do dia 15/03 (terça) e foram unânimes em manifestar descontentamento ao que está sendo apresentado pelo governo. Ademais, foi reafirmado que o tratamento deve ser isonômico e proporcional para todos os servidores da secretaria da fazenda.
“O secretário Rafael Fonteles marcou audiência com representantes das categorias para o dia 16/03 (quarta) onde será realizada mais uma rodada de negociação”, informou Flaviano de Santana, diretor do Sintfepi.

 

Contra proposta apresentada pelo superintendente da receita desagradou a todos

16 de março de 2016

Desde o final do ano passado que o Sintfepi vem buscando viabilizar os anseios da categoria em busca de melhorias salariais. No início desse ano, todas as entidades fazendárias protocolaram um ofício solicitando audiência com o secretário da fazenda, Rafael Fonteles. Esta reunião ocorreu nos dias 11 e 12 de fevereiro, onde foi solicitado tratamento isonômico e proporcional ao que foi concedido ao Analistas do Tesouro Estadual no final de 2015. O secretário solicitou um prazo até o final de março para resolver a questão.

No dia 26/02, autorizado pelo secretário, o superintendente da receita, Antonio Luiz, apresentou uma ideia de criação da gratificação por esforço fiscal – GEF que garantiria para os Técnicos R$300,00 quando a meta for atingida e possibilitando pequenos acréscimos em função do incremento da receita estadual a partir de janeiro de 2017. Além disso, seria acrescentado R$60,00 sobre a GIA Metas a partir de dezembro de 2016. Em junho de 2017, esse acréscimo passaria a R$120,00; em novembro de 2017, passaria para R$180,00 e em junho de 2018, esse acréscimo sobre a atual GIA Metas passaria a ser de R$240,00.

Da mesma forma, as demais categorias fazendárias ficaram descontentes com as propostas apresentadas pela direção da SEFAZ, visto que elas não conseguem repor, sequer, as perdas inflacionárias. Neste sentido, no dia 03/03 o Sintfepi apresentou contra proposta com valores proporcionais ao que foi concedido aos Analistas do Tesouro Estadual no final do ano de 2015, concordando em parcelar o aumento até o final de 2016. As demais entidades fazendárias também apresentaram suas reivindicações. O superintendente recebeu as sugestões e informou que até o dia 14/03 daria resposta.
Na data combinada, Antônio Luiz reuniu-se separadamente com cada entidade e informou que o secretário da fazenda manteve o modelo de sua proposta original deixando margem para pequenas alterações: O valor garantido da GEF passaria de R$300,00 para R$360,00 e os acréscimos sobre a GIA Metas passariam para R$90,00; R$180,00 e R$300,00 até julho de 2018.

Assim, representantes de todas as entidades se reuniram na manhã do dia 15/03 (terça) e foram unânimes em manifestar descontentamento ao que está sendo apresentado pelo governo. Ademais, foi reafirmado que o tratamento deve ser isonômico e proporcional para todos os servidores da secretaria da fazenda.
“O secretário Rafael Fonteles marcou audiência com representantes das categorias para o dia 16/03 (quarta) onde será realizada mais uma rodada de negociação”, informou Flaviano de Santana, diretor do Sintfepi.

 

Contra proposta apresentada pelo superintendente da receita desagradou a todos

15 de março de 2016

Desde o final do ano passado que o Sintfepi vem buscando viabilizar os anseios da categoria em busca de melhorias salariais. No início desse ano, todas as entidades fazendárias protocolaram um ofício solicitando audiência com o secretário da fazenda, Rafael Fonteles. Esta reunião ocorreu nos dias 11 e 12 de fevereiro, onde foi solicitado tratamento isonômico e proporcional ao que foi concedido ao Analistas do Tesouro Estadual no final de 2015. O secretário solicitou um prazo até o final de março para resolver a questão.

No dia 26/02, autorizado pelo secretário, o superintendente da receita, Antonio Luiz, apresentou uma ideia de criação da gratificação por esforço fiscal – GEF que garantiria para os Técnicos R$300,00 quando a meta for atingida e possibilitando pequenos acréscimos em função do incremento da receita estadual a partir de janeiro de 2017. Além disso, seria acrescentado R$60,00 sobre a GIA Metas a partir de dezembro de 2016. Em junho de 2017, esse acréscimo passaria a R$120,00; em novembro de 2017, passaria para R$180,00 e em junho de 2018, esse acréscimo sobre a atual GIA Metas passaria a ser de R$240,00.

Da mesma forma, as demais categorias fazendárias ficaram descontentes com as propostas apresentadas pela direção da SEFAZ, visto que elas não conseguem repor, sequer, as perdas inflacionárias. Neste sentido, no dia 03/03 o Sintfepi apresentou contra proposta com valores proporcionais ao que foi concedido aos Analistas do Tesouro Estadual no final do ano de 2015, concordando em parcelar o aumento até o final de 2016. As demais entidades fazendárias também apresentaram suas reivindicações. O superintendente recebeu as sugestões e informou que até o dia 14/03 daria resposta.
Na data combinada, Antônio Luiz reuniu-se separadamente com cada entidade e informou que o secretário da fazenda manteve o modelo de sua proposta original deixando margem para pequenas alterações: O valor garantido da GEF passaria de R$300,00 para R$360,00 e os acréscimos sobre a GIA Metas passariam para R$90,00; R$180,00 e R$300,00 até julho de 2018.

Assim, representantes de todas as entidades se reuniram na manhã do dia 15/03 (terça) e foram unânimes em manifestar descontentamento ao que está sendo apresentado pelo governo. Ademais, foi reafirmado que o tratamento deve ser isonômico e proporcional para todos os servidores da secretaria da fazenda.
“O secretário Rafael Fonteles marcou audiência com representantes das categorias para o dia 16/03 (quarta) onde será realizada mais uma rodada de negociação”, informou Flaviano de Santana, diretor do Sintfepi.

 

Deixe o seu comentário

Você precisa estar logado para postar um comentário.

Quem somos

SINTFEPI – Sindicato dos Técnicos da Fazenda Estadual do Piauí. Trata-se de entidade sindical representativa dos Técnicos da Fazenda Estadual da Secretaria da Fazenda do Estado do Piauí (SEFAZ-PI).

Email: contato@sintfepi.org.br

Redes sociais

SINTFEPI - Sindicato dos Técnicos da Fazenda Estadual do Piauí. Av. Pedro Freitas nº 1765, Salas 103 e 104, Bairro Vermelha, CEP 64018-000. © Sintfepi 2017